5.3.07

"Cinema estrangeiro"


É o cumulo ter que usar o termo “cinema estrangeiro” para se referir ao cinema asiatico, francês e entre outros, mas infelizmente é assim que são conhecidos.
Bom, aproveitando o embalo que a Nathalia (membro do blog Mente Instável) deu com a matéria sobre o cinema asiático, resolvi hoje comentar sobre cinemas de diferentes origens, e não americana como é o costume.
A industria cinematográfica que mais vem crescendo é sem dúvida a japonesa.
Não foi há muito tempo que o cinema asiático era majoritariamente conhecido apenas pelos filmes japoneses do grande Akira Kurosawa ou pelos filmes indianos de Satyajit Ray. No entanto, e a partir, principalmente, da década de 80, assistiu-se a uma grande evolução da sétima arte no continente asiático. Novos realizadores surgiram, como novas ideias e novas abordagens à realização, que tornaram possível a ocidentalização do cinema asiático.
Enfim, hoje é possível afirmar que a maturidade desta industria cinematográfica é tão grande que talvez se torne tão grandiosa quanto a americana.
Nas questões de efeitos especiais, sonoros, figurino e fantasia os japoneses arrasam indiscutivelmente, principalmente na fantasia, que descobri ser um toque muito interessante em muitos gêneros de filmes.
Logo abaixo estão algumas indicações que eu faço a vocês, ainda não sou expert no cinema japonês, mas ta valendo!
(Fonte: http://hollywood.weblog.com.pt/arquivo/2005/11/cantos_do_mundo_1.html)

1) Old Boy

Um homem desaparece misteriosamente, sendo confinado a um quarto de hotel durante 15 anos. Após ver pela TV que é o principal suspeito do assassinato de sua esposa, a vingança passa ser o seu único objetivo.

Este filme é simplesmente uma surpresa em todos os aspectos. A trama é bem feita, consegue ser extremamente original e polemica, finaliza com um dos melhores finais de filmes de drama/suspense que já vi. O melhor filme de vingança já feito, supera Kill Bill.

2) Casshern

No final do século XXI, após 50 anos de uma desgastante guerra mundial que devasta o planeta inteiro, trazendo poluição e doenças devido ao uso de armas químicas e biológicas, uma esperança surge através do Dr. Azuma, um médico capaz de através da manipulação genética, recuperar ou restituir órgãos sem riscos de rejeição, com o objetivo de curar sua esposa. Contudo, algo de misterioso acontece ao invento de Dr. Azuma, o que poderá trazer consequeências nefastas para a humanidade…

Considero o filme como uma grande obra belíssima e paralisante, porém não ira agradar todo tipo de publico, principalmente aos que não gostam de efeitos especiais. Mesmo assim, os efeitos são irradiantes, as cores, a fotografia é tudo muito fantástico, mágico. Mas não pensem ser um filme de fantasia pura, o filme tem uma critica pesadíssima a nós seres humanos, envolvendo egoísmo, instinto, família, guerra e etc. Excelente!

Não é só o cinema japonês que ganha destaque neste crescimento. O cinema russo, francês e o principal, mexicano, também esta marcando presença constantemente, pode ser visto isso no diferente e intrigante “Guardiões da Noite”(Russo), no emocionante e polêmico “E sua mãe também” (Mexicano) e em “Os sonhadores” (Francês) que para mim já é um cult, original, sensível e jovial.
Bom, o cinema brasileiro também é uma industria que vem crescendo muito, mas talvez ainda falte detalhes essenciais para o crescimento prevalecer, primeiro acho que a diversidade de gêneros é muito pouca, o cinema brasileiro ainda não conseguiu se destacar em efeitos especiais, ao contrário da Rússia, por exemplo. Talvez falte ousadia, o Brasil cresce no ramo mas sempre cresce na mesma direção, há um déficit de inovação. É lógico que há as exceções.

2 comentários:

Mari disse...

Esse Casshern o carinha da locadora nao me deixou sair com ele, pq disse que eu nao iria gostar...mas agora que vc comentou fiquei curiosa.

Bruno disse...

Cara, Casshern é muito bom!!! E eu pensei que era o único maluco que tinha gostado.

A trilha sonora é muito boa também. Tá sempre tocando aqui no meu PC.