14.6.08

...ao pedalar bucólico - Les Triplettes De Beleville

“Champion é um menino solitário, que só sente alegria quando está em cima de uma bicicleta. Percebendo a aptidão do garoto, sua avó começa a incentivar seu treinamento, para fazê-lo um verdadeiro campeão e poder participar da Volta da França, principal competição ciclística do país. Porém, durante a disputa, Champion é sequestrado. Sua avó e seu cachorro Bruno partem então em sua busca, indo parar em uma megalópole localizada além do oceano e chamada Belleville.”

Animação ainda é um gênero que não conquistou o devido espaço e preferência. Para muitos é sinônimo de desenho infantil e entretenimento despretensioso. As exceções mais conhecidas são os amarelos Simpsons e derivados que esbanjam humor negro e críticas sempre atualizadas, sendo consideradas animações para adultos. No cinema o espaço é ainda mais restrito já que as animações ganham sala pelo seu atrativo “Disney” de ser. Porém algumas vezes tivemos o prazer de conhecer trabalhos como Akira, As Bicicletas de Belleville, Persépolis. Na verdade nem todos tiveram, aliás tratam-se de filmes “sérios” demais para Cinemas de Shopping Center, apesar de uma ou outra sala ter recebido esse “tipo sério” por no máximo uma semana (motivo: indicações ao Oscar, etc).
Sob a direção e roteiro de Sylvain Chomet, 8 milhões de dólares foram investidos na produção de As Bicicletas de Belleville. Uma animação fora dos padrões e com tudo pra ser considerada pretensiosa demais. Um exemplo típico de animação que tenta conquistar o título de gênero sério, inteligente e crítico.
Os personagens caricatos do contexto bucólico de uma Paris deprimente e sem brilho são atraentes pela melancolia bizarra e expressividade. A animação é quase uma homenagem ao cinema mudo pelos poucos diálogos (praticamente não há), apesar de ter uma trilha sonora ambientizada muito presente. E é justamente por ser quase todo dirigido em cima de sons e imagens que os personagens se tornam tão complexos e dimensionais, incluindo o sofrido cachorro Bruno e seus sonhos inquietantes. Mesmo com a frieza casualidade de comportamento observado na primeira parte do filme, o sentimentalismo mudo pode ser sentido pela atenciosa direção, inclusive digna de Oscar. Os olhares baixos, sigilosos e preocupados sempre focados e profundos.
Sylvain Chomet ainda cria diversas sátiras, além de criticar o consumismo americano, a obesidade dos fast food, artistas envelhecidos conseqüentemente esquecidos. Vemos isso com a estátua da liberdade obesa e as trigêmeas jovens cantoras e belas, posteriormente velhas e comedoras de sapos, entre outros exemplos. É relevante refletir também sobre os participantes da tal máfia secreta, a qual Champion é vítima e duramente utilizado com fins lucrativos. Talvez, por exemplo, uma analogia à práticas como o tráfico de mulheres para prostituição, a qual evidenciaria a existência de mundos obscuros baseados na lei do dinheiro, prazer e poder.
Recebeu 2 indicações ao Oscar, nas categorias de Melhor Filme de Animação e Melhor Canção Original ("The Triplets of Belleville"). Perdeu na categoria de Melhor Filme de Animação para Procurando Nemo. As Bicicletas de Beleville é um filme pouco conhecido e comentado, animação excepcional, porém abusiva demais para o convencional cinema animado. Um trabalho que ainda é pouco valorizado.

11 comentários:

contra-regra disse...

As Bicicletas é lindo. Recomendadíssimo para quem quer fugir do monopólio das produções da Pixar/Disney e da Dreamworks. Uma pena que o mercado europeu não disponha dos orçamentos gigantescos que hollywood possui para fazer mais dessas, pois valeu muito a pena.

Saudações cinéfilas,
Roberto.

Vinícius Lemos disse...

É um filme de visual único, cuja melancolia se mistura às suas músicas muito espirituosas, mas que, sinceramente, exige da paciência do seu espectador. O que não é ruim, mas não é para qualquer momento.

Isabela disse...

Não conhecia essa animação, mas pela nota irei anota-la na minha lista e tentar encontrar para conferir.

Wally disse...

Um belo filme, com um clima autêntico e original e o sentimento de valores perdidos ao longo do tempo logo resgastados. Uma sessão bem gratificante.

4 estrelas.

cineresenhas disse...

Há tempos deveria ter visto este filme, mas ele não é fácil para ser encontrado em qualquer locadora de esquina. Uma vez o vi em uma bem pequena, mas ela mudou de endereço.

Depois destes elogios, vamos ver se na próxima vez que eu for locar alguma coisa eu não o procure.

Abraços!

Marco disse...

Adoro esse filme!

Principalmente a animação quase surreal. O cachorro da Madame Souza, então. Simplesmente impecável!

Sem contar a história, como o próprio título já diz perfeitamente, bucólica!

Ibertson Medeiros disse...

Queria muito ver esse filme.
Já vi elogios rasgados sobre ele.

Rafael Carvalho disse...

Wiliam, meu caro, quanto tempo hein? Mas tem muito tempo mesmo que a gente não troca uma palavra. Eu, na verdade, tava com uma série de problemas que me deixaram afastado do blog por um bom tempo, mas já estou de volta. Você também deu uma sumida.

Sobre As Bicicletas de Belleville, acho um filme fodaço, fodaço. Fique chapado quando assisti. Além de ser encantador, é de uma criatividade imensa ao expor os personagens e seus dramas, além das críticas à sociedade americana atual. Ao mesmo tempo não é um filme fácil; é cheio de referências e simbologias que o tornam mais encantador ainda. Sério, sou fascinado por esse filme. E realmente é um tipo de produção que não encontra muito espaço por aí, muita gente desconhece essa obra. Não sabem o que estão perdendo.

Abração pra você e vê se aparece lá no blog e não desapareça, hein! Valeu!!!

Rafael Carvalho disse...

Pois é rapaz, Dedê sumiu mesmo do(s) blog(s). Ela tá um tanto atarefado dando aulas de inglês. Eu vejo ela na facu, cobro inclusive a volta dela para o blog, mas ela tá um pouco apertada agora. Mas continuarei cobrando. Abraço!!

Vulgo Dudu disse...

Mas é muito, muito, muito, muito, mas muito melhor mesmo que Procurando Nemo - que nada mais é do que aquela animação pasteurizada feita por computadores.

Bicicletas de Belleville é animação de verdade, instigante, diferente. Enfim, raridade!

Abs!

Alexsandro Vasconcelos disse...

Uma das melhoras animações já produzidas, com certeza! Sofreu da mesma injustiça que Persépolis no último Oscar: animação francesa "que tenta conquistar o título de gênero sério" (como você citou), que foi indicada ao oscar, mas acabou perdendo para uma animação da pixar...

Vi em outro blog que Wall-E "é como um filme mudo, como a verdadeira essência do cinema". Ainda não vi Wall-E, mas Bicicletas se encaixa perfeitamente nessa definição...

Abração!